Mundo

O Papa não esquece os arménios

Omnes-17 de Junho de 2016-Tempo de leitura: 2 acta

De 24-26 de Junho, o Papa Francisco fará uma viagem à Arménia numa viagem apostólica que se espera venha a constituir um novo marco nas relações ecuménicas. A viagem será concluída com a assinatura de uma declaração conjunta com os católicos da Igreja Apostólica Arménia.

- Miguel Pérez Pichel

A chegada do Papa Francisco à Arménia a 24 de Junho faz parte da sua visita ao país. apelo à evangelização tanto nas periferias geográficas como nas periferias existenciais. Faz também parte da necessidade de fomentar o diálogo ecuménico e de estreitar os laços entre a Igreja Católica e a Igreja Apostólica Arménia. A este respeito, o Papa Francisco proclamou a Religião arménia Saint Gregory Narek como Doutor da Igreja em 12 de Abril de 2015 durante a Missa celebrada em São Pedro por ocasião do centenário do genocídio arménio.

A Arménia é um país de 3.060.631 habitantes e cobre uma área de 29.800 quilómetros quadrados, fazendo fronteira com a Turquia, Geórgia, Azerbaijão e Irão. A população arménia é principalmente ortodoxa. 94,7 % da população pertence à Igreja Apostólica Arménia (de tradição ortodoxa). 4 % são católicos ou protestantes, 1.3 % são yazidis, e existe também uma pequena comunidade muçulmana.

A Igreja Apostólica Arménia tem as suas origens na evangelização pelos apóstolos Bartolomeu e Tadeu. A Arménia adoptou o cristianismo como sua religião oficial em 301 durante o reinado de Tiridates III através do trabalho de São Gregório, o Iluminador. Foi assim o primeiro país do mundo a proclamar-se cristão. Em 428 o Império Persa sassânida conquistou o reino, embora os arménios tenham conseguido assegurar a sua liberdade religiosa e alguma autonomia. Em 506, os cristãos arménios aceitaram o monofisitismo. No século VII, o califado islâmico, que tinha surgido na Península Arábica, absorveu a Arménia. Após uma revolta em 780, a Arménia conseguiu estabelecer uma ampla autonomia em relação ao poder árabe. Recuperou a sua independência em 885. A partir daí, os arménios tiveram de enfrentar as pretensões expansionistas bizantinas e árabes, bem como as invasões de turcos, mongóis e outros povos asiáticos. Esta situação deixou o reino arménio exausto face à ascensão do poder otomano no final da Idade Média.

Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.
Banner publicitário
Banner publicitário