Vaticano

Papa reza pela paz perante israelitas e árabes com filhas mortas na guerra

Na Audiência desta quarta-feira, o Papa convidou a contemplar Cristo crucificado para assimilar o seu infinito amor paciente, e apresentou o testemunho de pais árabes e israelitas que perderam as suas filhas na guerra e que são amigos. Pediu também para rezar pelas vítimas inocentes da guerra na Terra Santa e dirigiu uma saudação especial aos participantes no congresso UNIV 2024.  

Francisco Otamendi-27 de março de 2024-Tempo de leitura: 3 acta
Audiência Geral Papa Quarta-feira Santa 2024

Sala Paulo VI na Audiência Geral do Papa Francisco na Quarta-feira Santa de 2024 @OSV

O Santo Padre celebrou a Público em geral O Papa agradeceu aos peregrinos pela sua paciência, porque a chuva em Roma impediu que se realizasse na Praça de São Pedro. O Papa agradeceu aos peregrinos pela sua paciência, porque a Aula estava repleta de fiéis que o acompanham nas celebrações da Semana Santa.

A virtude que o Pontífice abordou hoje foi paciênciaA referência ao "hino à caridade" da primeira carta de S. Paulo aos Coríntios, onde o apóstolo escreve que o amor é paciente, prestável, sem perturbações, indulgente e tolerante.

A mensagem central do Papa foi sobre a paz e a contemplação de Cristo crucificado para aprender a ter paciência. Vivamos estes dias em oração; convido-vos a abrir-vos à graça de Cristo Redentor, fonte de alegria e de misericórdia. Rezemos pela paz, pela Ucrânia martirizada, que sofre tanto, também por Israel, pela Palestina, para que haja paz na Terra Santa, para que o Senhor nos dê a paz a todos, como um dom através da sua Páscoa. A minha bênção para todos.

Na sua catequese sobre a virtude da paciência, o Papa mencionou várias vezes o Jesus crucificado que perdoa, o Cristo paciente, que é capaz de responder ao mal com o bem. Nós somos impacientes, tornamo-nos impacientes e respondemos ao mal com o mal. A paciência é um apelo de Cristo. A paciência é um apelo de Cristo.

Saudações ao UNIV 2024, aos libaneses e aos fiéis de tantos países.

Nas suas saudações aos peregrinos em várias línguas, referiu-se "de modo especial aos participantes no Reunião UNIV 2024. Convido-vos a viver estes dias santos contemplando Cristo crucificado, que com o seu exemplo nos ensina a amar e a ser pacientes na gloriosa expetativa da ressurreição. Que Jesus vos abençoe e a Virgem Santa vos guarde.

Tal como nos anos anteriores, cerca de três mil estudantes de muitos países estão reunidos em Roma para o UNIV 2024, um encontro internacional de estudantes universitários que passam a Semana Santa e a Páscoa em Roma, juntamente com o Papa, e que este ano reflectem sobre o tema "O Fator Humano" na Inteligência Artificial. O Pontífice dirigiu-se também aos peregrinos de uma forma especial. libanêsde língua inglesa, e não só, 

Obra de misericórdia: sofrer com paciência as faltas dos outros.

Hoje reflectimos sobre a virtude da paciência, começou o Papa na sua catequese. Na narrativa da Paixão, como ouvimos no domingo passado, "a imagem de Cristo paciente interpela-nos. Esta virtude manifesta-se como fortaleza e mansidão no sofrimento. É uma das características do amor, como afirma São Paulo no hino da caridade". 

Um exemplo de paciência pode também ser visto na parábola do Pai misericordioso, que nunca se cansa de esperar e está sempre pronto a perdoar, acrescentou.

No mundo de hoje, onde o imediatismo é prioritário e as dificuldades prevalecem, "ser paciente é o melhor testemunho que nós, cristãos, podemos dar. Não é fácil viver esta virtude, mas tenhamos presente que é um apelo a configurarmo-nos com Cristo, uma forma concreta de a cultivar".

E como é que ela é cultivada? Praticando na nossa vida a obra de misericórdia espiritual que nos convida a sofrer com paciência os defeitos do nosso próximo. Não é fácil, mas pode ser feito. Peçamos ao Espírito Santo que nos ajude, rezou o Santo Padre.

O Papa não fez qualquer menção ao facto de hoje se assinalar o quarto aniversário dessa momento extraordinário de oraçãosozinho na Praça de São Pedro, em 27 de março de 2020, na qual invocou a cura para o mundo sitiado pelo coronavírus.

O autorFrancisco Otamendi

Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.