Vaticano

A Santa Sé continuará a vacinar os pobres e os marginalizados

O Vaticano continua a vacinar os mais necessitados, adquirindo mais doses fornecidas pelo Hospital Lazzaro Spallanzani.

David Fernández Alonso-26 de Março de 2021-Tempo de leitura: 2 acta
Vacinações do Vaticano

Foto: ©2021 Catholic News Service / U.S. Conference of Catholic Bishops.

Em resposta aos vários apelos do Papa Francisco para assegurar que ninguém seja excluído da campanha de vacinação anti-Covid-19, o Gabinete Apostólico Almoner está mais uma vez próximo das pessoas mais vulneráveis e frágeis.

No período que antecede o Domingo de Páscoa, precisamente durante a Semana Santa, o Vaticano irá atribuir mais doses da vacina Pfizer-BioNTech, adquirida pela Santa Sé e oferecida pelo Hospital Lazzaro Spallanzani, através da Comissão Vaticana Covid-19, para vacinar 1200 pessoas entre as mais pobres e marginalizadas, que estão mais expostas ao vírus devido à sua condição.

Doações para vacinas

Além disso, para continuar a partilhar o milagre da caridade para com os irmãos mais vulneráveis e para lhes dar a oportunidade de entrar neste direito, será possível fazer uma doação online de um "vaccino sospeso"The Holy Father's Charity Account administered by the Apostolic Almoner's Office (www.elemosineria.va)".

Vacinas para todos, especialmente para os mais vulneráveis e necessitados em todas as regiões do mundo. Antes de mais nada, os mais vulneráveis e necessitados!

Papa FranciscoMensagem para o Natal de 2020

Na sua Mensagem de Natal de 2020, o Papa Francisco fez um apelo sincero: "Peço a todos: chefes de Estado, empresas, organizações internacionais, que promovam a cooperação e não a competição, que procurem uma solução para todos: vacinas para todos, especialmente para os mais vulneráveis e necessitados em todas as regiões do planeta. Antes de mais nada, os mais vulneráveis e necessitados! "Face a um desafio que não conhece fronteiras, não podem ser erguidas barreiras. Estamos todos juntos nisto.

O Papa encoraja a vacinação

Sobre a utilização da vacina, além disso, o Papa tem encorajado repetidamente as pessoas a serem vacinadas, porque é uma forma de exercer responsabilidade para com os outros e o bem-estar colectivo, reiterando veementemente que todos devem ter acesso à vacina, sem que ninguém seja excluído por causa da pobreza.

Em Janeiro último, quando a campanha de vacinação anti-Covid-19 começou no Vaticano, o Papa Francisco queria que entre as primeiras pessoas a serem vacinadas fossem mais de vinte e cinco pobres, na sua maioria sem abrigo, que vivem nos arredores de São Pedro e que são cuidadas e acolhidas diariamente pelas estruturas sociais e residenciais da Casa de Esmola Apostólica.

A mesma vacina que o Papa

A vacinação dos pobres durante a Semana Santa terá lugar nas instalações especialmente designadas no interior da Sala Paulo VI do Vaticano, utilizando a mesma vacina administrada ao Papa e aos funcionários da Santa Sé.

Médicos e profissionais de saúde serão os voluntários que trabalham permanentemente na clínica "Madre di Misericordia", localizada sob as colunas Bernini, os funcionários do Departamento de Saúde e Higiene do Governatotato e voluntários do Instituto de Medicina Solidária e do Hospital Lazzaro Spallanzani.

Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.