Cinema

"O Primaz da Polónia", um filme sobre o Cardeal que preparou o caminho para São João Paulo II

A Contracorriente Filmes lança nos cinemas a 24 de maio "O Primaz da Polónia", um filme que conta a história do Cardeal Stefan Wyszynski (1901-1981), uma figura-chave na Polónia durante o período da Segunda Guerra Mundial e da Guerra Fria.

Loreto Rios-20 de maio de 2024-Tempo de leitura: 2 acta

Cena do filme "O Primaz da Polónia".

O filme "The Primate of Poland", realizado pelo polaco Michal Kondrat ("Divine Mercy", "Two Crowns"), é protagonizado por Slawomie Grzymkowski ("Alarm", "War Victim"), Adam Ferency ("Cold War", "Pornography"), Marcin Tronski ("And the Violins Stopped Playing") e Katarsyna Zawadzka ("Bod obnovy"), Marcin Tronski ("And the Violins Stopped Playing") e Katarsyna Zawadzka ("Bod obnovy"), e centra-se na vida do Cardeal Wyszynski depois de ter passado três anos preso pelos comunistas, quando teve de iniciar uma luta pela liberdade religiosa.

Este beato cardeal, ordenado sacerdote em 1924, sofreu perseguições religiosas por parte dos nazis durante a Segunda Guerra Mundial, quando era também capelão do hospital dos insurrectos do Exército Nacional Polaco. Depois da guerra, foi ordenado bispo e recebeu o título de "Primaz da Polónia".

No entanto, o fim da guerra não trouxe paz à Igreja na Polónia, mas a perseguição do partido comunista continuou. O Cardeal Wyszynski foi preso em 1953 e, posteriormente, colocado em prisão domiciliária.

O filme centra-se precisamente nesta fase da vida do protagonista, com um início chocante: a tortura brutal pelo partido comunista do bispo polaco Antoni Baraniak, que tinha uma relação próxima com o Cardeal Wyszynski e com o futuro João Paulo II.

Poster do filme

No entanto, o desenvolvimento do filme não se detém nestes episódios violentos, mas sim nas relações tensas entre Wyszynski e o governo, que pretende que o Primaz use a sua influência para levar o povo polaco a votar nas eleições. Entretanto, o cardeal está sob vigilância constante. Os tentáculos do partido chegam até aos seus colaboradores mais próximos, pelo que precisará de toda a sua perícia e inteligência para manter relações com o governo, sem permitir que o partido se infiltre na Igreja, mas procurando ao mesmo tempo um equilíbrio para que o povo polaco não sofra repressão e a liberdade religiosa não seja limitada.

Como pano de fundo, assistimos ao percurso do jovem Karol Wojtyla até à sua eleição como Papa, à repressão violenta das manifestações operárias contra o governo comunista em Gdansk e Gdynia e à celebração do milésimo aniversário do batismo da Polónia, um aniversário que o governo tenta eclipsar com eventos paralelos de natureza política e ateia.

O desenvolvimento da história mantém o interesse em todos os momentos, com um ator principal que aborda o seu papel com sobriedade e excelência.

Wyszynski foi recentemente beatificado em 12 de setembro de 2021. Embora, por razões lógicas, tenha sido ofuscado pela figura de São João Paulo IIEste filme é um magnífico tributo ao seu importante legado. De facto, João Paulo II dirigiu-se a ele após a sua eleição como Papa com estas palavras: "Não haveria nenhum Papa polaco [...] se não fosse a tua fé, que não se coibiu da prisão e do sofrimento".

Trailer do filme "O Primaz da Polónia".
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.
Banner publicitário
Banner publicitário