Iniciativas

Estradas da Europa: Alemanha. As estradas germânicas

Nos últimos anos, a Alemanha recuperou o interesse pelas peregrinações, especialmente o Caminho de Santiago, que é também muito popular entre os protestantes.

José M. García Pelegrín-23 de Agosto de 2021-Tempo de leitura: 2 acta
Rothenburg ob der Tauber

A primeira peregrinação conhecida a Santiago de Compostela a partir do território alemão data da segunda metade do século XI: segundo uma fonte documental, o Conde Eberhard VI de Nellenburg - a norte do Lago Constança - fez uma peregrinação a Santiago com a sua esposa Ita em 1070, após a sua segunda peregrinação a Roma. No seu regresso de Santiago, Eberhard VI "o Beato" entrou no mosteiro de Todos os Santos, que ele próprio tinha fundado, como irmão leigo, enquanto Ita se retirou com um grupo de piedosas mulheres para Schaffhausen.

Durante a Idade Média, os peregrinos da Europa Central seguiram para a fronteira hispano-francesa ao longo das rotas comerciais e militares, em particular a "Via Regia" (Estrada Real), cujas origens remontam aos séculos VIII e IX e que atravessou todo o Sacro Império Romano-Germânico. Com a Reforma Protestante, as peregrinações diminuíram, especialmente no norte da Alemanha.

Após a revitalização do Caminho de Santiago a partir dos anos 80, várias rotas começaram também a ser sinalizadas na Alemanha - actualmente são cerca de 30 no total - com a particularidade de ter sido precisamente um pastor protestante, Paul Geissendörfer, que em 1992 marcou um Caminho de Santiago de Nuremberga a Rothenburg ob der Tauber, que se tornaria o núcleo do "Caminho Franconiano de Santiago" (1995). As adições mais recentes em 2005 foram as "Estradas dos Peregrinos para Santiago no Norte da Alemanha", com dois ramos, a Via Báltica e a Via Jutlandica, que é o resultado de uma cooperação germano-dinamarquesa.

A conhecida história autobiográfica do comediante Hape (Hans-Peter) Kerkeling Ich bin dann mal weg - Meine Reise auf dem Jakobsweg (Vou partir: a minha viagem ao longo do Caminho de Santiago), publicada em 2006, contribuiu grandemente para a divulgação do Caminho de Santiago na Alemanha; com uma tiragem de mais de sete milhões de exemplares, encabeçou a lista dos mais prestigiados bestsellers alemães do semanário Der Spiegel durante 103 semanas (de 2006 a 2008), e foi feita uma versão cinematográfica em 2015. Kerkeling propõe-se a aprofundar a busca do sentido da vida, mas para isso evita os peregrinos cristãos "clássicos" ("Eles terminarão a viagem da mesma forma que a iniciaram") e procura os "raros e exóticos". O sucesso deste livro mostra que a maioria dos alemães não andam no Caminho motivados por uma peregrinação tradicional. No entanto, contribuiu para um aumento de 74 por cento no número de alemães a passear no Caminho em 2007.

Por outro lado, a imensa popularidade de que goza o Caminho, independentemente da denominação religiosa, reflecte-se na sua propagação precisamente nas regiões tradicionalmente protestantes; assim, por exemplo, em 2011, foi fundada a Sociedade St. James da Região Brandenburg-Oder, que se ocupa - de acordo com o seu próprio website - dos "interesses dos peregrinos e peregrinos de Santiago em Berlim, Brandenburgo e regiões vizinhas". E acrescenta: "a composição diversificada dos seus membros reflecte qual foi a ocasião para a sua fundação e os objectivos da associação: o interesse e o prazer de percorrer os caminhos para Santiago de Compostela". Como outras associações regionais, procuram especificamente sinalizar os itinerários, colocar painéis informativos e ligá-los à rede europeia do Caminho "para contribuir para a cooperação europeia e o entendimento internacional".

Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.