Espanha

Nova campanha para promover o tema da religião

Omnes-2 de Maio de 2018-Tempo de leitura: 3 acta

A Conferência Episcopal Espanhola está a lançar uma nova campanha para promover o tema da Religião, com especial enfoque nos jovens dos 12 aos 17 anos de idade.

Texto - José Ávila Martínez; Professor de Religião em Las Tablas-Valverde

Em 9 de Abril, a Conferência Episcopal Espanhola (CEE) lançou a campanha Inscrevo-me na ReligiãoO objectivo do projecto é encorajar os jovens dos 12 aos 17 anos a questionar a sua escolha da religião como disciplina para o ano académico de 2018/19.

É evidente que na escola primária são os pais que decidem, na sua maioria, se os seus filhos vão ou não fazer a disciplina de Religião, enquanto que os alunos do secundário e do Bacharelato tomam geralmente esta decisão eles próprios.

O slogan utilizado "Se questiona tudo, porque não ir à religião?"é muito atractiva e apelativa. Não tem tons imponentes, pelo contrário, ajuda os jovens que não frequentam ou nunca frequentaram aulas de religião a reflectir de uma forma livre e pessoal.

Apesar dos numerosos canais de comunicação existentes hoje em dia, nem sempre é recebida informação completa e verdadeira, de modo que o receptor aparece como um náufrago perante tanta informação, muitas vezes incompleta, sem rigor e com opiniões mais ou menos questionáveis e com pouco julgamento. De facto, um dos objectivos da educação é a formação de pessoas com discernimento.

A campanha fornece várias frases, que apesar da sua brevidade, contêm grande profundidade no seu conteúdo, e que servem para argumentar porque é que um estudante escolhe a religião: conhecer a cultura dos outros, respeitá-la. A religião transmite conhecimentos sobre história, arte, costumes de povos e civilizações, cultura, etc.

ter um espaço de diálogo e reflexão. Não há dúvida que existe uma falta de diálogo na nossa sociedade, um diálogo enriquecedor que nos permite compreender os outros, e que é o fruto da reflexão pessoal. saber para fazer escolhas livres. Aqueles que não sabem, ou só sabem parcialmente, têm muita dificuldade em tomar as decisões correctas.

Porque uma educação com religião é completa. O tema da religião trata de muitas questões, que são de relevância directa para o indivíduo.

Um esclarecimento a ter em conta, embora pareça que algumas pessoas estão determinadas a continuar a manter a confusão, é a diferença entre as aulas de religião e a catequese. O tema da religião é ensinado por pessoas com um diploma universitário e os conhecimentos (culturais, históricos, artísticos, etc.) são avaliados, enquanto a catequese é a preparação para a recepção de sacramentos (comunhão, confirmação, casamento, etc.). Em ambos os casos, a assistência é gratuita, mas é necessário um mínimo de fé para assistir à catequese, uma vez que a pessoa quer receber um sacramento para fortalecer a sua vida de graça. As aulas de religião católica podem ser frequentadas por estudantes de outras religiões e crenças religiosas, ou sem qualquer crença.

No dia a seguir à apresentação desta campanha, o Tribunal Constitucional reafirmou a importância do tema da religião. Entre outras coisas, diz na sua decisão sobre a LOMCE e Religião de 10 de Abril de 2018: "A religião subjacente são valores humanos ou humanistas que são os mesmos que agora chamamos constitucionais. Neste sentido, o STC de 13 de Fevereiro de 1981, invocado pelo STC 77/1985, veio afirmar, em síntese, que a necessária neutralidade dos centros educativos públicos não impede a organização de um ensino de acompanhamento gratuito, a fim de tornar possível o direito dos pais a escolherem para os seus filhos a educação religiosa e moral que esteja de acordo com as suas convicções. E a liberdade de escolha estabelecida pela LOMCE entre Religião e Valores Sociais e Cívicos em todos os ciclos de educação está em conformidade com este princípio.".

Como professor de religião, penso que esta campanha é um grande sucesso e felicito a CEE pelo esforço que tem feito para chegar aos jovens, para que eles sejam realmente os principais protagonistas do tema da religião. Ao mesmo tempo, encorajo os meus colegas no ensino da religião, cerca de 30.000 deles, a continuar com entusiasmo nesta excitante missão educacional, que requer o mesmo nível profissional que nas outras disciplinas.

Leia mais
Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Mais sobre Omnes
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.