Vaticano

Papa a consagrar a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria

A consagração terá lugar simultaneamente a 25 de Março às 17 horas em Roma, presidida pelo Papa Francisco, e em Fátima, liderada pelo Cardeal Krajewski, almoneiro papal, como enviado do Papa.

Maria José Atienza-15 de Março de 2022-Tempo de leitura: 2 acta
consagração da ucrânia

Foto: Os fiéis pedem ao Papa a consagração no Angelus no domingo 13 de Março ©CNS foto/Paul Haring

O artigo em alemão aqui

O Papa Francisco irá consagrar a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria. O que tinha sido um pedido de muitos fiéis e pastores face à invasão russa da Ucrânia terá lugar na sexta-feira 25 de Março, a Festa da Anunciação do Senhor, durante a Celebração da Penitência que o Santo Padre presidirá às 17 horas na Basílica de São Pedro.

"O mesmo acto, no mesmo dia, será realizado em Fátima pelo Cardeal Konrad Krajewski, almoneiro papal, como enviado do Santo Padre". Isto foi anunciado pelo director do Gabinete de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni.

Esta consagração deriva do pedido da própria Nossa Senhora durante a sua aparição de 13 de Julho de 1917 em Fátima, na qual pediu a consagração da Rússia ao seu Imaculado Coração, afirmando que, se este pedido não fosse atendido, a Rússia espalharia "os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja". 

Depois das aparições de Fátima houve vários actos de consagração ao Imaculado Coração de Maria: Pio XII, em 31 de Outubro de 1942, consagrou o mundo inteiro e em 7 de Julho de 1952 consagrou os povos da Rússia ao Imaculado Coração de Maria na sua Carta Apostólica  Sacro vergente anno.

Em 21 de Novembro de 1964, Paulo VI renovou a consagração da Rússia ao Imaculado Coração na presença dos Padres do Concílio Vaticano II.

A consagração de São João Paulo II

O Papa João Paulo II fez uma consagração especial durante o Ano Santo da Redenção no acto de entrega a 7 de Junho de 1981, repetida em Fátima a 13 de Maio de 1982. Dois anos mais tarde, em 25 de Março de 1984, na Praça de São Pedro, em união espiritual com todos os Bispos do mundo, anteriormente "convocados", João Paulo II confiou todos os povos ao Imaculado Coração de Maria.

Seria este acto solene e universal de consagração que, de acordo com a carta da Irmã Lúcia visionária correspondente ao que ficou conhecido como o terceiro segredo de Fátima e que foi tornado público no ano 2000, tinha respondido ao pedido de Nossa Senhora na sua aparição aos pastores: "Sim, foi feito - disse a visionária - tal como Nossa Senhora tinha pedido, em 25 de Março de 1984".

Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.