Vaticano

O Cardeal Parolin sobre os abusos: "É uma injustiça que afecta toda a gente".

A Pontifícia Universidade Gregoriana organizou a IV Conferência Internacional sobre Salvaguarda, com o objetivo de dar novos passos na prevenção dos abusos. Este ano, o tema foi "Salvaguarda e deficiência".

Giovanni Tridente-19 de junho de 2024-Tempo de leitura: 2 acta

O Cardeal Parolin e o Diretor do Instituto de Antropologia, Hans Zollner (Crédito IADC)

"Os abusos representam "uma injustiça que afecta todos, deficientes ou não". Foi o que afirmou o Cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin, na abertura da 4ª Conferência Internacional sobre Salvaguarda, organizada no Pontifícia Universidade Gregoriana pelo seu Instituto de Antropologia, fundado em 2012 como Centro inicial de Proteção de Menores. Em 2021, a agência, da qual fazem parte os jesuítas Hans Zollneralargou a sua missão para incluir pessoas vulneráveis de todas as idades.

Não é por acaso que a conferência deste ano é dedicada ao tema "Salvaguarda e deficiência", uma preocupação central também no magistério do Papa Francisco e da Igreja em geral. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 16 % da população mundial vive com uma deficiência significativa, em resultado da interação entre condições de saúde, ambientais e pessoais, refere um comunicado dos organizadores.

"Nos últimos anos, a comunidade internacional fez progressos significativos no reconhecimento dos direitos das pessoas com deficiência, mas infelizmente isso ainda não aconteceu a nível global", explicou Parolin. Se isso acontecesse, poderia florescer uma "sociedade mais justa e solidária, na qual a pertença não é um slogan para ser usado em discursos politicamente correctos, mas uma prática".

"Temos a oportunidade", acrescentou o Cardeal Secretário de Estado no seu discurso, "de ultrapassar as várias barreiras, reunindo-nos e discutindo formas" de combater qualquer tipo de abuso em qualquer circunstância.

A conferência

A conferência, que decorre até 21 de junho, incluirá várias sessões dinâmicas. Estas incluirão a participação da Deaf Catholic Youth Initiative for the Americas (DCYIA), uma organização sem fins lucrativos que apoia as necessidades pastorais, culturais e linguísticas dos jovens surdos nas Américas. Três intérpretes de língua gestual americana traduzirão as apresentações para o público e assistirão os participantes surdos. A sua palestra, intitulada "Surdos e abusados... a comunidade esquecida", abordará os desafios frequentemente vividos por estas vítimas.

Três outras sessões centrar-se-ão na abordagem cultural da deficiência em diferentes contextos geográficos e sociais, na aceitação e participação das pessoas com deficiência na vida da Igreja e nas dificuldades que as pessoas com deficiência enfrentam para reconhecer e denunciar eventuais abusos.

A atenção do Papa Francisco

Desde o início do seu pontificado, o Papa Francisco tem dedicado especial atenção à questão dos abusos. Nos últimos dez anos, actualizou tanto as normas canónicas como as leis do Estado da Cidade do Vaticano que regem os abusos sexuais cometidos por clérigos, estendendo-as também aos leigos. Também implementou medidas para investigar e punir não só aqueles que cometem abusos, mas também aqueles que os encobrem com malícia ou indiferença.

Em consonância com as preocupações do Pontífice, a Conferência pretende também proporcionar uma plataforma para aprender mais sobre esta questão, para trabalhar em rede e partilhar as melhores práticas no domínio dos cuidados, da prevenção e do acompanhamento de crianças e adultos em situações de violência ou abuso.

Prerrogativas que são assumidas pelo próprio Instituto de Antropologia, com o objetivo de promover a dignidade e o cuidado através da formação interdisciplinar, da investigação e da educação, abordagens inspiradas nos princípios cristãos e sensíveis à diversidade cultural.

Leia mais
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.