Uma coincidência histórica

17 de Junho de 2016-Tempo de leitura: < 1 minuto

Oitocentos anos atrás São Francisco de Assis pediu indulgência para aqueles que foram à Porciúncula: um claro precedente para o que o Papa Francisco deseja no Jubileu da Misericórdia.

Apenas a 2 de Agosto de 2016, em pleno Ano Santo da Misericórdia, passarão 800 anos desde a Porciúncula, o lugar para o qual São Francisco de Assis pediu ao Papa Honório III, nessa altura em Perugia, que concedesse uma indulgência plenária a todos aqueles que frequentassem este lugar e se confessassem. Seria a primeira vez que uma indulgência teria sido concedida fora de Roma, São Tiago, São Miguel de Gargano e Jerusalém. Acima de tudo, o perdão teria sido concedido gratuitamente. Como a Diploma Após alguma hesitação, o Papa concordou, mas foi imediatamente instado por um cardeal na sua comitiva a limitar os termos da indulgência: "Saiba, senhor, que se conceder tal indulgência a este homem, destruiria aqueles que estão no estrangeiro".

Talvez se o pedido de S. Francisco de Assis tivesse sido aceite, não teria havido ocasião para a reforma que Lutero tinha provocado com o abuso da questão da esmola e das indulgências. Embora restrito, S. Francisco obteve algo e pôde anunciá-lo: "Meus irmãos e irmãs, quero levar-vos a todos ao paraíso! Oitocentos anos antes tinha obtido o que é agora normal, ou seja, obter a remissão completa da culpa simplesmente arrependendo-se, confessando-se e indo à igreja.

O autorOmnes

Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.
Banner publicitário
Banner publicitário