Espanha

Bispos rezam a São Tiago Apóstolo por La Palma e vítimas de abusos

"A preocupação e a dor dos habitantes de La Palma". "Os abusos cometidos por alguns membros da Igreja", que "nos causam dor e vergonha", e o acompanhamento de "as vítimas". "Os 11 milhões de pessoas em exclusão social", e "o compromisso sinodal" da Igreja, foram trazidos a São Tiago Apóstolo pelos bispos espanhóis.

Rafael Mineiro-19 de Novembro de 2021-Tempo de leitura: 5 acta

Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Espanhola (CEE), na sua 118ª edição, foi encerrada em Santiago de Compostela Esta semana, com uma peregrinação dos 63 bispos espanhóis, dois administradores diocesanos e os dois vice-secretários da CEE, acompanhados pelo núncio apostólico em Espanha, Mons. Bernardito C. Auzaque, por ocasião do Ano Jubilar de Compostela, depositaram as suas esperanças e preocupações aos pés do apóstolo São Tiago.

O evento principal foi a Missa do Peregrino às 11.00 da manhã na catedral. Os bispos entraram na igreja através da Porta Santa por volta das 10.45 da manhã para venerar o túmulo do Apóstolo Santiago na cripta. O arcebispo de Santiago, Dom Julián Barrio, presidiu à celebração eucarística. 

Após a leitura do Evangelho, o Presidente da CEE e Arcebispo de Barcelona, Cardeal Juan José Omellalevou a cabo a oferta ao Apóstolo em nome do Bispos espanhóis. Começou por se referir aos habitantes da ilha de La Palma, que foram afectados pela erupção do vulcão Cumbre Vieja.

Solidariedade com La Palma

"Como peregrinos vimos perante vós, para pedir a vossa protecção sobre todos os projectos das nossas igrejas locais, bem como a vossa presença encorajadora nas alegrias e sofrimentos do nosso povo e de todas as nossas comunidades, servimos como pastores. De uma forma especial, apresentamos-vos a preocupação e a dor dos habitantes de La Palma, que estão sob a erupção do vulcão há mais de dois meses. Desejamos-lhes não só as tão necessárias orações, mas também a solidariedade de todos os povos de Espanha".

Anteriormente, dirigiu-se directamente ao Apóstolo Santiago: "Nós, os bispos da Igreja em Espanha, vimos em peregrinação a esta catedral, onde os vossos restos mortais têm sido venerados desde tempos imemoriais. Foi você, segundo a venerável tradição, que trouxe a luz do Evangelho a estas terras. Viemos aqui no contexto deste Ano Santo, que periodicamente traz dezenas de milhares de pessoas de todo o mundo a esta catedral, e também vimos aqui no contexto da nossa reunião da Assembleia Plenária, que quisemos concluir com esta peregrinação.

Causas de sofrimento

O Cardeal Omella referiu-se também à pandemia, e salientou que "ainda hoje sentimos a dor de tantas pessoas que sofrem a ausência de entes queridos ou as consequências da doença: saúde, família, religiosa, pastoral, social e também económica".

"Temos partilhado nestes dias outras causas de sofrimento", acrescentou ele. "Os abusos cometidos por alguns membros da Igreja causam-nos dor e vergonha. Pedimos a vossa força e a vossa luz para que, em todas as dioceses, nos possamos encontrar, acolher e acompanhar, cara a cara, as vítimas na cura da sua dor".

O presidente da CEE também quis colocar nas mãos do Apóstolo Tiago "as dificuldades económicas que deixam cada vez mais pessoas numa situação de exclusão". Somos sensíveis à preocupação pela terra, habitação e trabalho, tão frequentemente apontada pelo Papa Francisco. Os dados oferecidos pela Cáritas e outras entidades da Igreja dizem-nos que existem actualmente 11 milhões de pessoas que já se encontram numa situação de exclusão social. Sem esquecer os mais de dois milhões e meio de pessoas em situações de extrema vulnerabilidade".

Compromissos para com aqueles que mais sofrem

"Pedimos-lhe, Apóstolo Tiago, que acompanhe todos aqueles que sofrem estes sofrimentos e que desperte em todos nós sentimentos de compaixão, bem como compromissos efectivos para que seja verdade que somos um só povo, e que estamos todos comprometidos uns com os outros, e todos com aqueles que mais sofrem", disse o Cardeal Omella.

Finalmente, colocou nas mãos do Apóstolo Tiago "o esforço sinodal em que toda a Igreja está empenhada", pediu a sua "ajuda para esta bela e emocionante missão [evangelização] porque estamos conscientes de que ela nos ultrapassa", e orou que, "com Maria, estrela da nova evangelização, sob a invocação do Pilar, que, segundo a tradição, está tão intimamente ligado à vossa pessoa e obra evangelizadora, interceda por nós agora e sempre".

Pioneiro decreto para combater o abuso

A Assembleia Plenária aprovou esta semana um Decreto Geral sobre a protecção de menores. É a primeira Conferência Episcopal do mundo a aprovar este conjunto de regras para lidar com casos de abuso sexual contra menores e pessoas que normalmente têm um uso imperfeito da razão, a própria Conferência Episcopal Espanhola apontou,

O texto reúne, num único documento, "as normas canónicas dispersas em vários documentos, e será válido em todas as dioceses espanholas, em instituições religiosas de direito diocesano. Será também um bom instrumento para a sua aplicação nas de direito pontifício. A sua implementação permitirá uma maior coordenação e rapidez no tratamento deste tipo de casos e também garantirá os direitos de todas as partes, esclarecendo aspectos que anteriormente eram interpretados por analogia jurídica".

Este decreto "já incorpora as modificações que a Santa Sé introduziu, sobre esta matéria, no Livro VI do Código de Direito Canónico, apresentado em 1 de Junho deste ano", e entrará em vigor assim que receber o recognnitio da Santa Sé.

Também em relação à protecção de menores, a Assembleia Plenária especificou a formação e o trabalho do Serviço de Coordenação e Aconselhamento para os Gabinetes de Protecção de Menores. E "a crescente necessidade de acolher todo o tipo de pessoas que procuram ajuda para os abusos ocorridos noutras áreas foi também discutida. Também discutiram os serviços comuns que o CdEE pode oferecer para facilitar o trabalho destes gabinetes", para os quais "está em estudo a formação de uma equipa de pessoas na Conferência que possa ajudar e prestar os serviços que os gabinetes exigem".

Caso a caso, não estatísticas

Luis Argüello, bispo auxiliar de Valladolid e secretário-geral da CEE, prestou contas dos trabalhos da Assembleia Plenária, juntamente com o vice-secretário para os assuntos económicos, Fernando Giménez Barriocanal. Sobre o tema dos abusos, o Bispo Argüello salientou que a Conferência Episcopal é favorável ao "conhecimento caso a caso de situações de abuso que possam ter ocorrido, com o desejo de que não se repitam", mas não à realização de uma tarefa de "investigação sociológica ou estatística".

"O nosso principal interesse é que cada vítima possa sentir que a Igreja, em cada diocese e em cada congregação, está pronta a aceitar a sua situação, e se surgir a possibilidade de abrir um procedimento, este seria aberto, porque embora a Igreja tenha um prazo de prescrição de vinte anos, está sempre aberta ao levantamento do estatuto de limitações", disse o secretário-geral, de acordo com Cope.

Estatutos, família, orçamentos

A ordem de trabalhos da Assembleia Plenária incluiu também a aprovação dos Estatutos da CEE e dos seus órgãos. Os bispos foram informados sobre o projecto de estrutura e funcionamento do Conselho de Estudos e Projectos da CEE, cuja criação é uma das actividades previstas no plano de acção. "Fiel ao envio missionário".que foi aprovada na Plenária de Abril de 2021.

Por outro lado, o Peregrinação de Jovens Europeus terá lugar em Santiago de Compostela, de 4 a 8 de Agosto de 2022, com o tema Jovem, levante-se e seja uma testemunha. O Apóstolo Tiago espera-o".que se está a realizar por ocasião do Ano Santo de Compostela. Já há 10.000 jovens registados, relata a CEE.

No âmbito do  Ano "Família Amoris Laetitia"o programa foi avançado para Semana do Casamentopromovido pela CEE, de 14 a 20 de Fevereiro de 2022. Além disso, os bispos concordaram em juntar-se ao Encontro Mundial das Famílias, que terá lugar em Roma de 22 a 26 de Junho, com um encontro nacional, para além dos que são organizados nas diferentes dioceses. Quanto ao orçamento do Fundo Comum Interdiocesano para 2022, o instrumento através do qual é canalizada a distribuição da dotação fiscal para as dioceses espanholas e outras realidades eclesiais, "o montante alvo foi fixado em pouco mais de 295 milhões de euros, o que representa um aumento de 3,5 % em relação ao ano anterior".

Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Mais sobre Omnes
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.