América

Arcebispo García Ibáñez: "O povo cubano anseia por conhecer mais a Deus".

Omnes-3 de Julho de 2017-Tempo de leitura: 2 acta

O Arcebispo de Santiago de Cuba, Monsenhor García Ibáñez (Guantánamo, 1945), é engenheiro da Universidade de Havana e é padre desde 1985. Desde 2009, tem presidido à Conferência Episcopal Cubana, com a qual se deslocou recentemente a Roma para a visita ao Vaticano. ad limina O Papa Francisco. Assegura que o Santo Padre "está muito perto de nós". y "muito conhecedor"..

Rafael Mineiro

Há muito barulho sobre Cuba. Especialmente político. No entanto, a Igreja continua no seu curso, e os bispos cubanos estiveram com o Papa Francisco há algumas semanas atrás na sua visita a Cuba. ad limina. No seu regresso à ilha, Palabra, situada em Madrid, Monsenhor Dionisio García Ibáñez, presidente da Conferência dos Bispos Católicos Cubanos desde 2009, que recebeu três Papas em Cuba como bispo: São João Paulo II (1998), Bento XVI (2012) e Francisco (2015).

A breve palestra volta-se para a visita a Roma, e também para aspectos que normalmente não são discutidos quando se fala de Cuba, por exemplo, a fé do povo cubano.

Monsenhor, o que lhes disse o Papa?

-A visita ad limina pode ser descrito como muito bom. Achámos que o Papa estava muito bem preparado, muito bem informado sobre as questões que tínhamos discutido com ele, e muito cordial. Levantámos livremente muitas preocupações com ele, mas acima de tudo informámo-lo ainda mais. A visita começou com um retiro espiritual, porque não se trata apenas de nos vermos e darmos relatórios. Isso é o que qualquer empresa faz. Vimo-lo muito bem-vindo, de perto, pois esteve connosco durante a sua visita a Cuba, no Santuário da Virgen de la Caridad del Cobre. Para nós, é muito importante partilhar as experiências na nossa igreja com o Pastor da Igreja universal.

Referiu-se à Virgen de la Caridad del Cobre. Recebeu também Bento XI, como Arcebispo de Santiago. E falou da devoção do povo de Cuba à Virgem com belas palavras.

-Sim, eu disse-lhe que esta pequena imagem antes da qual ele veio em peregrinação nos acompanhou durante 400 anos. Católicos e não-Católicos, crentes e não crentes, vêm ao seu santuário porque nela descobrimos o amor de Deus por nós, ou porque descobrimos que ela tem estado presente desde as origens da nossa nação.

Pode falar-nos sobre a fé do povo cubano?

-O povo cubano é um povo crente. Pode-se dizer que todos os anos em que tivemos fortes limitações para a vida da Igreja, para a prática da fé, não puseram fim à sua religiosidade....

Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.