América

As crianças mártires de Tlaxcala, um exemplo de evangelização

Omnes-1 de Outubro de 2017-Tempo de leitura: 5 acta

A 15 de Outubro, o Papa Francisco canonizará em Roma os Meninos Mártires de Tlaxcala (México): Cristobal, António e Juan. Vinte e cinco anos após a sua beatificação por S. João Paulo II, serão de novo propostos ao mundo como modelo de santidade, pois testemunharam a sua fé na tarefa de evangelização ao ponto de darem a sua vida.

TEXTO. Gabriel Alcantarilla Sánchez, Cidade do México

Presidente da Comissão Diocesana Pró-Canonização

Rubén Rodríguez Balderas

Sociedade Mexicana de História Eclesiástica

As crianças mártires de Txacala (México), protomártires da América e com grande veneração popular, serão propostas ao mundo pelo Papa Francisco como modelo e exemplo de testemunho de fé evangelizadora e de santidade, até ao ponto de darem as suas vidas por Jesus Cristo. A cerimónia de canonização terá lugar em Roma, depois de terem sido beatificados em Maio de 1990 por São João Paulo II na Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, no México.

A aprovação do Papa para a canonização das crianças mártires veio em Abril durante um consistório ordinário de cardeais. Os novos santos mexicanos serão canonizados ao lado dos Beatos André de Soveral e Ambrosio Francisco Ferro, sacerdotes, e Mateus Moreira e 27 companheiros, martirizados em 1645 no Rio Grande do Norte (Brasil). Faustino Miguez, sacerdote Piarista e fundador do Instituto Calasancciano das Filhas da Divina Pastora, e Angelo de Acri, sacerdote da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, também serão elevados aos altares.

Evangelistas: martírio

Os primeiros mártires da evangelização no México são três crianças, Cristobal, Antonio e Juan, com idades compreendidas entre os 12 e os 13 anos. Converteram-se ao cristianismo após terem ouvido o Evangelho pregado por frades franciscanos e dominicanos.

Cristobal nasceu na aldeia de Atlihuetzía por volta de 1514. Aos 13 anos de idade converteu-se à fé católica, e quando o rapaz disse ao seu pai, o cacique Axotécatl, que devia parar o seu mau comportamento e tornar-se cristão, foi espancado e atirado ao fogo em 1527. A sua mãe Tlapaxilotzin resgata-o e Cristobal passa a noite em agonia. Na manhã seguinte, o seu pai regressa e o rapaz diz-lhe: "Ó pai, não penses que estou zangado contigo, estou muito contente por me teres honrado mais do que ao herdares o teu senhorio!".

Antonio (neto de Xicoténcatl, cacique chefe de Tlaxcala) e a sua página Juan, nasceram na cidade de Tizatlán em 1516. Em 1529 ofereceram-se para ir como missionários para evangelizar Oaxaca, e quando Fray Martín de Valencia lhes disse que era demasiado perigoso, eles responderam: "E se Deus quisesse o sacrifício da nossa vida, por que não deveríamos sacrificá-lo por Ele? Não morreram São Pedro, São Paulo, São Bartolomeu por Deus? Por que não deveríamos morrer por Ele, se fosse a Sua vontade"?. Alguns dias mais tarde foram espancados até à morte quando estavam a destruir ídolos na cidade de Cuauhtinchan em 1529.

Abençoado em 1990

Em 1541, o frade franciscano Toribio de Benavente (conhecido como Motolinía) escreveu o relato do martírio das crianças, no seu História dos índios da Nova Espanhatratado III, capítulo IV. Ao longo de quase cinco séculos a memória das crianças sagradas foi preservada em mais de 80 obras escritas, quase todas em espanhol, mas também em Nahuatl, italiano, inglês e francês, e recentemente em português e polaco. A sua efígie é cinzelada sobre uma cruz de prata feita na Nova Espanha no século XVI, agora na catedral de Palência, Espanha.

Em 1982, o primeiro bispo de Tlaxcala, Mons. Luis Munive y Escobar, introduziu a causa de beatificação. Foram beatificados por S. João Paulo II na sua segunda viagem ao México, a 6 de Maio de 1990, na Basílica de Guadalupe. A partir desse ano, a festa diocesana é celebrada a 23 de Setembro. Em 2012, na cidade de Guanajuato, o Papa Bento XVI propôs-os como modelos de vida cristã para todas as crianças do México.

Numerosos favores

Em 2013, o terceiro bispo de Tlaxcala, D. Francisco Moreno Barrón, reforçou o trabalho da Comissão Diocesana Pró-Canonização, colocando o padre Gabriel Alcantarilla Sánchez, um dos autores deste artigo, à cabeça. Assim se iniciou a fase diocesana do processo de canonização.

Durante esta fase, mais de dois mil favores solicitados a Deus através da intercessão das crianças foram recolhidos, e mais de 50 foram concedidos, incluindo 13 curas consideradas extraordinárias. De particular destaque foi o caso de duas irmãs jovens que caíram de uma altura de 15 metros.

Em Setembro de 2014, o Bispo Barrón ergueu o Santuário dos Meninos Mártires e decretou um ano jubilar para celebrar o 5º centenário do seu nascimento. Iniciativas para tornar as Crianças mais conhecidas e veneradas multiplicaram-se nas mais de 70 paróquias e nas 7 reitorias da diocese. Nesse ano, mais de 30.000 peregrinos afluíram ao seu santuário.

10.000 exemplares do livro serão publicados em 2015. Abençoadas crianças mártires de Tlaxcala, Cristobal, Antonio e Juan, Protomártires da América, e 100.000 cópias de um polidíptico com o mesmo título. O solene encerramento do Ano Jubilar contou com a presença de mais de 40 bispos mexicanos. O Papa Francisco enviou as suas mais calorosas felicitações. Três hinos já foram compostos em sua honra.

Em Novembro de 2015, a Conferência Episcopal Mexicana declarou-os Patronos das Crianças Mexicanas. Em Maio do ano seguinte, o patrocínio foi confirmado pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

Fase romana

Uma vez concluída a fase diocesana do processo de canonização, teve início a fase romana. O bispo de Tlaxcala nomeou o P. Giovangiussepe Califano O.F.M. como postulador em Roma, e Rubén Rodríguez Balderas, sacerdote da Prelatura da Santa Cruz e Opus Dei, também autor deste artigo, como vice-postulador da Causa no México. Por sua vez, o Padre Califano nomeado como vice-postulador em Roma, P. Luis Martín Rodríguez Muñoz O.F.M.

Assim começaram 14 meses de trabalho árduo, a fim de enviar ao postulador a mais importante das abundantes informações recolhidas no México: a historicidade do martírio de Cristobal, António e Juan; a devoção do povo de Deus às crianças; a sua iconografia abundante; os milhares de favores pedidos a Deus por sua intercessão e as centenas de favores concedidos, entre os quais 13 extraordinários; a transcendência que as crianças tiveram na vida civil de Tlaxcala e na vida académica do país; e o seu conhecimento e devoção noutros países americanos, europeus e africanos.

Com toda esta informação, o Positio super CanonizationeO documento de mais de 400 páginas, que foi apresentado à Congregação para as Causas dos Santos em Janeiro de 2017, foi estudado em pormenor pela comissão de cardeais, que comunicariam as suas conclusões ao Papa Francisco.

No dia 21 de Março, em sessão ordinária, os cardeais e bispos da Congregação para as Causas dos Santos avaliaram o Positio super canonizatione dos Child Martyrs e o seu julgamento foi positivo. Isto foi comunicado ao Papa Francisco, que pôde ratificar a decisão e autorizar a canonização.

A tão esperada declaração papal veio na quinta-feira, 23 de Março deste ano. As notícias espalharam-se imediatamente por todo o mundo. Na quinta-feira 20 de Abril, no Palácio Apostólico do Vaticano, o Papa Francisco presidiu ao consistório público ordinário no qual a canonização do Beato foi anunciada na Praça de S. Pedro a 15 de Outubro.

Na sexta-feira 28 de Abril, na Assembleia da Conferência Episcopal Mexicana da CIII, D. Francisco Moreno Barrón, agora Arcebispo de Tijuana, anunciou a notícia a todos os bispos do México.

Impacto nas famílias

A próxima canonização das crianças mártires de Tlaxcala "poderia ter um impacto profundo nas famílias".Moreno Barrón, que foi até há apenas meio ano atrás bispo de Tlaxcala, e que tem liderado o esforço para completar a causa de canonização nos últimos anos.

Na sua opinião, a canonização das crianças mártires mexicanas "É um momento de graça, de bênção para o Igreja universal", e um apelo à "valorizar o família como um presente de Deus". O Arcebispo de Tijuana também já demonstrou: "Espero que noutros países, como o Peru, os Estados Unidos, onde quer que seja, sejam também promovidos como patronos das crianças nestes tempos difíceis em que as crianças são espancadas, abusadas, quando existe uma verdadeira falta de respeito e promoção para com elas na Igreja e na sociedade.

Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.