Evangelização

Experiência na capelania da Universidade Complutense de Madrid

Desde os anos de estudante em tempos turbulentos, até ao capelão da sua antiga faculdade. O autor tem vindo a ministrar à juventude universitária desde 2009, e conta-nos a sua experiência como capelão na Universidade Complutense de Madrid.

Hilario Mendo-27 de Março de 2018-Tempo de leitura: 5 acta

No salão do corpo docente, cheio de estudantes sob um granizo de panfletos, dois estudantes universitários de facções políticas opostas entraram em confronto. Em poucos momentos, aquele que suportou o peso foi rapidamente levado por vários colegas estudantes, e um rasto de sangue era um símbolo das divisões amargas do momento. Foi nos anos 60, e é uma das minhas memórias dos meus tempos de estudante, que, para além destes episódios, foi um período amável.

Os anos foram passando. Mudei de cidade e de profissão. Depois veio o apelo ao sacerdócio e dediquei uma boa parte do meu tempo ao trabalho pastoral universitário em colégios. Mesmo assim, retive uma certa nostalgia durante os meus anos na Complutense. O pluralismo intelectual e social é sempre um apelo ao diálogo sincero; e, para um cristão, é também um desafio oferecer pacificamente e amavelmente as riquezas da sua fé. Por isso foi uma surpresa maravilhosa quando fui abordado sobre a possibilidade de me tornar capelão da minha antiga faculdade, e aceitei com entusiasmo.

Colector de e-mails

A faculdade tem uma grande capela, que facilita o recolhimento, bem localizada ao lado da livraria da faculdade. Pareceu-me que o essencial, nesses primeiros tempos, para além de rezar, era conhecer pessoas e dar-me a conhecer. Com a porta do meu gabinete aberta, aproximava-me educadamente das pessoas que entravam na capela, seguindo o conselho de outro capelão universitário: que eu me tornasse um "coleccionador de e-mails". Ao mesmo tempo que oferecia o meu cartão com o horário da capelania, pedi aos meus interlocutores os seus endereços electrónicos, e hoje tenho várias centenas. Isto permitiu-me comunicar digitalmente as actividades a um grande número de professores e estudantes, e receber as suas perguntas ou palavras de encorajamento, bem como distribuir textos úteis e manter-se em contacto.

Também pensei em como poderia comentar a Palavra de Deus a quem me quisesse ouvir, e como poderíamos rezar juntos. Uma breve homilia diária, tweet-homilyO primeiro objectivo é parcialmente atingido. Para conseguir o segundo, anunciei 15 minutos por dia de meditação sobre o Evangelho. Eu começaria a oração e os participantes ocupariam os bancos próximos: era a minha oração em voz alta, tentando desembalar o texto sagrado e oferecer aplicações práticas que ajudariam a imitar Jesus Cristo na vida quotidiana. Poucas pessoas assistiram, mas foi uma semeadura de oração que deu frutos.

O assunto mais importante

A confissão tinha de ser facilitada, por isso no meu cartão escrevi: "Confissões, em qualquer altura", que imprimi em letras grandes numa folha de papel que coloquei à entrada da capela.

Esta questão tem-me trazido muita alegria ao longo dos anos. Existe um gota Talvez se tenha espalhado a notícia de que na lei há um padre que confessa todas as noites, "a qualquer hora". Por vezes os jovens precisam de ser ajudados a compreender que, para além de uma troca de impressões e conselhos, precisamos acima de tudo da graça do sacramento.

Todos os anos, no início do ano lectivo, coloco um cartaz convidando as pessoas a receberem o sacramento da Confirmação. Ofereço uma aula semanal de uma hora sobre doutrina cristã, seguindo o esquema do Catecismo da Igreja Católica. Para além dos confirmantes, outros interessados participam; falo com todos eles periodicamente, para garantir, na medida do possível, que assimilam as aulas, e que a doutrina está a informar as suas vidas pessoais.

Um tema que está sempre presente nas conversas pessoais é a vida de oração. Para facilitar isto, temos um retiro mensal, que é muito curto, porque é uma questão de aproveitar a uma hora no meio do dia quando não há aulas no corpo docente. Exponho o Santíssimo Sacramento na demonstração, e no final há uma bênção. No meio, leitura espiritual com um texto seleccionado; um tempo de oração; algumas folhas de papel com perguntas, para que cada participante possa fazer o seu exame pessoal. Nos breves intervalos, alguém vai à confissão, ou encontramo-nos para uma conversa calma noutro dia.

O café teológico e a Youcat

Depois de iniciar as actividades básicas, perguntei-me o que poderia fazer para facilitar a formação doutrinal. Comecei a remodelar a pequena biblioteca de livros doutrinais e espirituais, localizada na capela das antenas. Mas algo mais tinha de ser feito. Organizei um café teológicoO primeiro deste tipo, destinado aos professores: uma reunião regular sobre um tema relevante, um convidado de prestígio que fala brevemente, e chávenas de café a vapor. Foi uma boa experiência, que me ajudou a construir relações com um punhado de professores. Na mesma linha, estabeleci conversações semelhantes para estudantes.

Por outro lado, a Providência trouxe-me uma experiência eficaz. Um casal de alunos veio ter comigo para me explicar que tinham formado um grupo de YoucatTiveram o catecismo da Igreja Católica para jovens, e encontraram-se aos domingos à tarde com outros amigos, na casa de um deles. Mas havia um problema: tinham perguntas que nenhum deles sabia como responder, e argumentavam sem esclarecer nada. Assim, decidiram convidar um padre, ou alguém bem preparado, para assistir às reuniões e confirmá-los na doutrina cristã correcta. Tive o prazer de aceitar este convite.

Para um par de cursos, tivemos estas sessões. Deixava-os dialogar animadamente, procurando interpretação - ou aplicação à vida quotidiana - do que se lê: e no final de cada tópico, esclareceria dúvidas, ou confirmaria e aprofundaria as suas conclusões.

Fermento cristão no mundo universitário

Não há falta de planos para o novo ano lectivo. Agora propomos: encorajar mais adoração à Eucaristia, com frequentes exposições do Santíssimo Sacramento; iniciar outro trabalho voluntário, com refugiados; promover uma novena em preparação para a Solenidade da Imaculada Conceição; organizar visitas artísticas e excursões para estar mais em contacto com a natureza; facilitar o empréstimo de livros...

Graças a Deus, um grande grupo tem vindo a formar-se em torno da capelania - já são cerca de cinquenta - de rapazes e raparigas de diferentes faculdades, desejosos de rezar, de se formarem de uma forma cristã... e de se divertirem. Temos uma reunião semanal, ao meio-dia, com três partes: dou-lhes um resumo de uma questão doutrinal ou antropológica actual; há um tempo de conversa onde partilham ou comentam experiências interessantes, e fazem planos para a semana seguinte; e passamos à capela adjacente, onde conduzo um tempo de oração em voz alta. Eles próprios coordenam um serviço semanal de voluntariado com os doentes num hospital próximo; o café filosófico mensal para estudantes universitários, num amplo bar e em torno de um tema pré-estabelecido; eventos culturais ou desportivos; a recolha e distribuição de roupa quente aos sem abrigo, pouco antes do Natal... E celebramos aniversários e dias de santos.

Amizade

Se tivéssemos de resumir tudo numa palavra, seria AMIGO: com Deus e com os outros; e isto envolve o compromisso de oferecer aos nossos amigos este horizonte. Não queremos ser um grupo fechado, mas um fermento cristão no meio da massa de estudantes universitários em Madrid. Temos um nome provisório, algo provocador: Grupo universitário CO.CA (COmpañeros del CAmpus). Há já algum tempo que estamos presentes em facebook e Instagram e a página whatsapp O grupo facilita os contactos diários, pedidos de oração por doença ou exames futuros, etc.

No fim-de-semana passado, várias do grupo saudaram-nos com as suas fotografias de Fátima; e uma das nossas raparigas subiu para o whatsapp a sua desfile de fotos na recente Semana da Moda Madrido maior evento de alta moda da capital. Ficámos encantados por estar presentes, ao mesmo tempo, num santuário mariano e numa passarela com as roupas mais na moda. fixe. Oração intensa, e vanguarda profissional e estética: parece-me um bom símbolo do trabalho de um capelão universitário, aberto ao mundo dos jovens, e convencido da beleza e força da proposta cristã.

O autorHilario Mendo

Leia mais
Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Mais sobre Omnes
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.