Realismo, virtude cristã

1 de Junho de 2016-Tempo de leitura: < 1 acta

É repetidamente demonstrado que não é fácil classificar o Papa Francisco. Uma entrevista recente demonstra isto em relação à migração, terrorismo islâmico e objecção de consciência.

Há aqueles que têm dificuldade em "encaixar" o Papa em categorias que - infelizmente - da política são aplicadas à Igreja, tais como "progressista" e "conservadora". Há alguns dias, deu uma interessante entrevista ao jornal francês La Croix. Falou sobre várias questões, mas duas respostas demonstram como um católico que é católico não pode ser "rotulado" com categorias políticas.

O autorOmnes

Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.