Artigos

Myanmar, Camarões, Ucrânia e migrantes; Papa Francesco da Matera punta i riflettori su chi soffre

O Santo Padre visitou a cidade italiana de Matera, onde realizou o Congresso Eucarístico Nacional. A partir daí lançou uma mensagem sobre a centralidade de Jesus Cristo na vida cristã e fez perguntas sobre vários conflitos internacionais.

Javier García-18 de Outubro de 2022-Tempo de leitura: 2 acta
matera de batata

Testo originale del articolo em inglês qui

Esta manhã, o Santo Padre foi a Matera para celebrar a Missa de encerramento do XXVII Congresso Eucarístico Nacional Italiano. Na sua homilia, sublinhou a importância de "adorar a Deus e não a si próprio". Para o colocar no centro e não na vaidade do eu. 

Per ricordare che solo il Signore è Dio e che tutto il resto è un regalo del suo amore. Perché si adoriamo noi stessi, moriamo soffocati dal nostro piccolo io; si adoriamo le ricchezze di questo mondo, esse ci ci ci prendono e ci rendono schiavi; Se adoriamo il dio dell'apparenza e ci ubriachiamo di immondizie, prima o poi la vita stessa ci chiederà di renderne conto.

O Papa pede para dar carros aos sem-abrigo

O Evangelho de hoje narra a cena da Epulona rica e do pobre Lazzaro, que é particularmente adequado para falar sobre a ajuda ao próximo. Por esta razão, na altura da oração do Angelus, o Papa recordou de uma forma particular alguns dos conflitos dos nossos dias.

Il Myanmar è senza dubbio uno dei luoghi più periferici che Papa Francesco abbia mai visitato; quindi, non sorprendente che abbia ricordato che "Durante mais de dois anos, este nobre país tem sido afectado por graves confrontos armados e violência, que causaram muitas mortes e muitas mortes. Esta semana, ouvi o grito de dor na morte de crianças numa escola que foi bombardeada. Que o grito destes pequenos não seja esquecido! Queste tragedie non devono accadere"!

Neppure poderia assumir o controlo da Ucrânia, que o Papa já mencionou em mais de 80 ocasiões este ano. "Possa Maria, Regina della Pace, confortare il popolo ucraino e ottenere ai capi delle nazioni la forza di volontà per trovare immediatamente iniziative efficaci che portino alla fin della guerra". O Vaticano lançou recentemente uma proposta de paz para resolver o conflito.

A Matera un ricordo per i migranti

A violência que tem eclodido em alguns países africanos contra padres e irmãos de padres está frequentemente a fazer as manchetes dos meios de comunicação ocidentais.
Nesta ocasião, o Papa respondeu ao apelo dos refugiados camaroneses para a libertação de oito pessoas raptadas na diocese de Mamfe, incluindo cinco sacerdotes e uma mãe. O tema deste ano é intitulado "O Dia Mundial do Migrante e do Refugiado".Construir o futuro com migrantes e refugiados". O Santo Padre exortou a facilitar a cada um a encontrar o seu próprio lugar e a ser respeitado: "onde migrantes, refugiados, refugiados e vítimas de tráfico humano possam viver em paz e dignidade. Porque o Reino de Deus também é realizado com eles, sem exclusão.". Ele também mostrou como, graças a estas pessoas, a comunidade pode crescer a vários níveis: social, económico, cultural e espiritual. Partilhar a própria tradição pode enriquecer o Povo de Deus.

Em colaboração com
Quer notícias independentes, verdadeiras e relevantes?

Caro leitor, Omnes relata com rigor e profundidade sobre assuntos religiosos actuais. Fazemos um trabalho de investigação que permite ao leitor adquirir critérios sobre os eventos e histórias que acontecem na esfera católica e na Igreja. Temos assinaturas de estrelas e correspondentes em Roma que nos ajudam a fazer sobressair a informação de fundo do ruído dos meios de comunicação, com distância ideológica e independência.

Precisamos de si para enfrentar os novos desafios de um panorama mediático em mudança e de uma realidade que exige reflexão, precisamos do seu apoio.

Em colaboração com
Mais sobre Omnes
Boletim informativo La Brújula Deixe-nos o seu e-mail e receba todas as semanas as últimas notícias curadas com um ponto de vista católico.